Rascunho de roteiro para um ensaio

Definir o tema

Definir o local

formada pelo stylist, beauty artist, fotógrafo e assistente

Definir o staff: maquiador & hair style, produtor de figurino, assistente

Links:

http://www.depoisdosquinze.com/2010/07/05/producao-de-um-editorial-de-moda/

Anúncios

1ª Lista de Exercícios: Entendendo a relação Diafragma x Obturador

Eu fiz os exercícios abaixo em casa sem me preocupar em preparar nenhuma cena, o importante aqui é entender os conceitos, a técnica e não a composição, logo, pode rir a vontade do cenário! Consideremos também que não estudamos ainda sobre ISO, assim utilizei ISO 1600 pois era noite e estava num quarto com pouca iluminação. Se for fazer as fotos externas pode utilizar um ISO 200 ou 400 no caso de uma sala ou quarto bem iluminado. Num dos post anteriores eu disse que nosso objetivo é controlar todos os parâmetros da máquina e utilizar o modo M, o modo manual, porém nesse exercício vamos utilizar os modos A e M para treinar os conceitos iniciais e perceber bem como manipular o diafragma e o obturador.

Exercício 1: Diafragma

Utilizaremos a máquina no modo A. O modo A é indicado quando desejamos controlar a abertura do diafragma e deixamos a máquina controlar a velocidade do obturador.

  • Primeira imagem: faça a foto no modo A e abertura e f/5
  • Resultados e observações: a máquina no meu caso ajustou a velocidade para 1/2s afim de compensar uma abertura grande
  • Segunda imagem: faça a foto no modo A e abertura e f/32
  • Resultados e observações: a máquina no meu caso ajustou a velocidade para 1/20s afim de compensar uma abertura pequena

Exercício 2: Obturador

Utilizaremos a máquina no modo S. O modo S é indicado quando desejamos controlar a velocidade do obturador e deixamos a abertura do diafragma ser controlado pela máquina.

  • Primeira imagem: faça a foto no modo S e velocidade 1/20
  • Resultados e observações: ?????
  • Segunda imagem: faça a foto no modo S e abertura e f/200
  • Resultados e observações: ?????

Exercício 3: A relação diafragma x obturador

 

Obturador for Dummies

Já sabemos que pelo diafragma ocorre a entrada de luz até o sensor mas, para controlar essa quantidade de entrada de luz precisamos também observar o tempo dessa exposição e, essa é a função do obturador. Determinamos uma abertura de diafragma e o tempo que o obturador ficará aberto apra essa luz entrar.

O obturador é um mecanismo interno da máquina que nos lembra uma cortina, que abre e fecha no tempo pré-determinado para entrada de luz. Na fotografia a luz é gravada por acúmulo, ou seja, a câmera vai guardando luz até conseguir efetuar o registro. A quantidade de luz no tempo certo é que gera a melhor imagem. Quando efetuamos o disparo, enquanto a cortina do obturador estiver levantada e a luz estiver entrando está havendo acúmulo no sensor. Logo, podemos dizer que não existe situação de luz ruim, o que devemos é adequar o tempo de exposição para capturar a imagem.

Quanto menor o tempo de exposição, menos luz é absorvida no interior da máquina e maior deverá ser a abertura do diafragma necessária para se obter uma exposição correta. Ou seja, diafragma e obturador precisam trabalhar juntos para que um compense o outro afim de obter a melhor exposição possível.

Além disso a configuração do obturador está intimamente ligada a como vamos captar o movimento na nossa imagem. O tempo de obturador determina se movimentos aparecerão borrados ou congelados.

Um dica:

  • longa exposição fará com que os movimentos apareçam borrados (comece em 1/60 e vá baixando)
  • curta exposição fará com que os movimentos apareçam congelados (1/500)

A velocidade ou tempo de exposição é normalmente dado no formato 1/x , onde x representa uma fração de tempo em segundos. São valores comuns:

  • 1/60 s (mais rápido
  • 1/30 s
  • 1/15 s
  • 1/8 s
  • 1/4 s
  • 1/2 s
  • 1 s (mais demorado)

O tripé é um instrumento necessário para se fazer fotos de longa exposição, ou seja, com velocidades altas, pois muitas vezes não conseguimos segurar por tanto tempo a câmera sem treme. Velocidades altas podem levar o fotógrafo a tremer; faça testes para saber qual o seu limite sem tremer. Algumas objetivas tem VR – Redução de vibração, para reduzir trepidações em velocidades altas e isso minimiza a intensidade do tremer. Porém, quando utilizar o tripé deixe essa opção desligada, pois a máquina estará esperando uma vibração que não encontrará e isso pode confundí-la (nãos sei se essa dica vale para todas as máquinas, pois foi num curso da NIKON que a ouvi).

Vamos praticar velocidade e obturador com alguns exercícios que serão propostos no próximo post.

Para saber mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Velocidade_do_obturador

Diafragma for Dummies

O diafragma é um orifício interno da máquina que controla a entrada de luz e é representado pelo número f que é obtido através de um cálculo que, nesse site http://tomjorge.wordpress.com/2008/11/19/o-misterioso-significado-do-numero-f/ está bem detalhado. Na figura abaixo você pode ver as possíveis representações de tamanho do diafragma. Note que cada vez que o difragma é fechado diminui-se a quantidade de entrada de luz pela metade e cada vez que o diafragma é aberto a quantidade de intensidade de luz dobra.

Para exemplificarmos como funciona o diafragma imagine um míope, mas eu não vale, por favor!!! Ele está olhando para um lugar lá longe e tudo está meio confuso, então ele fecha um pouco os olhos e franze o rosto, assim ele foca sua visão no ponto que deseja enxergar melhor; franzindo os olhos ele está diminuindo a entrada de luz (menor diafragma)  e, se você estiver observando esse míope verá uma maior região das suas pálpebras (maior número f ) . O míope fez isso para ganhar profundidade de visão e ganhar nitidez. Logo, podemos afirmar que:

Abrir o diafragma significa:

  • permitir maior passagem de luz
  • ter uma profundidade de campo menor
  • ter uma área de foco menor
  • ter menor nitídez onde não está o foco

Fechar o diafragma significa:

  • permitir menor passagem de luz
  • ganhar profundidade de campo, profundidade de campo maior
  • ter uma área de foco maior
  • ter maior nitídez onde não está o foco

Na figura abaixo a foto foi feita com f16, ou seja, bem fechado. Todos os planos estão nítidos.

Já na seguinte figura, utilizando f2 e focando no menino em segundo plano, perdemos a nitidez dos demais planos.

Logo percebemos que além de controlar o diafragma para uma melhor exposição da fotografia  também podemos combiná-lo com o foco para dar criar efeitos que evidenciam alguns assuntos e desfocam outros, dando mais dinamismo às nossas imagens!

Algumas dicas:

  • números pequenos, portanto aberturas grandes, suavizam os fundos (porém isso depende do foco)
  • f2.8 até f5: para desfocar elementos ou disfarçar imperfeições de pele
  • f8: visão mais próxima do humano
  • f22: grande profundidade de campo

Para começarmos a fazer um exercício práticos há outros conceitos básicos que precisamos entender que é a velocidade do obturador e o ISO, que veremos nos próximos posts.

Para saber mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Profundidade_de_campo

Veja no youtube:

Aula sobre a relação da abertura com a profundidade de campo: http://www.youtube.com/watch?v=vEb5ceFUhEM

 

Como nasce uma foto

Eu estou em um parque e lá vem uma imagem que lhe dá vontade de fotografar. Muito bem, começa a nascer ai, com meu olhar, uma foto. Hoje tenho uma incrível NIKON D500o, que me presenteei há cerca de um ano e pela qual sou apaixonada. Saco minha máquina e lá vou fotografar mas, nada de modo automático! Coloco no modo M e lá vou eu experimentar! Para toda foto é necessário que conseguir a melhor exposição possível.

Exposição é a quantidade de luz que entra pela objetiva  e chega até o sensor da máquina para desenhar a imagem.

Precisamos da exposição perfeita para obter a melhor imagem; luz de mais ou luz de menos pode comprometer a imagem. Muita luz pode clarear, esbranquiçar a imagem e pouca luz escurecê-la. Para controlar a exposição é necessário observar três fatores:

  • Abertura do Diafragma
  • Velocidade do Obturador
  • ISO

Nos próximos posts vou à definição e exercícios desses 3 fatores para que depois possamos seguir a sequência de Como nasce uma foto, que descrevo abaixo:

  1. White Balance
  2. Fotometria
  3. Composição e enquadramento
  4. Foco ou plano de interesse

Eu penso que esses conceitos são o começo para uma boa foto, técnicamente falando!

Os conceitos

Eu penso que o fator principal de uma fotografia é o olhar. De nada adianta uma fotografia tecnicamente perfeita se ela não é interessante no seu conteúdo ou assunto. Entretanto, muitas vezes eu vejo uma cena e quero registrá-la da forma que vejo e, com frequência não consigo: ou fica mais escura, ou mais clara, ou azulada, enfim, falta a técnica! E aqui estou eu em busca dela!

Assim,  é necessário termos em mente alguns conceitos iniciais que, até hoje, todas as vezes que li e reli fiquei mais confusa! Então eu os organizei numa ordem que eu considero lógica e para cada definição eu criei exercícios para fixação dos conceitos. Mãos ao alto! Ou seria Mãos à obra!

A foto

“Deus disse: ‘Haja luz’. E houve luz.” (Gen 1,3)
E graças a Ele se pode fotografar!

A foto é a representação de um sentimento, de uma condição, de uma situação.
É um registro de uma expressão, seja ela artística ou documental.

Não é incomum que uma foto me remeta a sensação do momento da lembrança; aquela foto que me faz lembrar do cheiro do café da vovó quando ela ainda estava entre nós, ou aquela imagem que te faz recordar o gosto do vinho que tomei com uma pessoa querida, ou aquela sensação que tive andando no fim de tarde na praia com o vento no rosto.

Há também fotos que nos fazem pensar sobre uma época, uma situação social, a condição humana.

A imagem está em todo lugar. Só precisamos ter a sensibilidade para registrarmos ou apreciarmos. De qualquer lado que se esteja, há um sentimento, um olhar, não importa se imparcial ou condicionado, se belo ou doloroso, há sempre uma imagem esperando para ser escrita, em toda parte.

A minha relação com a fotografia é totalmente sentimental, adoro ver fotografia como arte que me remete sensações. Assim como a música e as artes plásticas.

Não! Esse não é um blog de fotografia!

Embora eu esteja escrevendo sobre fotografia, quero esclarecer que esse não é um blog de fotografia! Nem tão pouco estou com a pretenção de fazê-lo ser.

Ocorre que eu aprendo melhor escrevendo e, há muito tempo quero ter um blog, então uni os dois.

Escrevendo eu registro melhor, então esse é o meu espaço de estudos e, se de alguma forma alguém cair aqui e aproveitar algo, será fantástico. Se alguém cair aqui e ler algo incorreto e me avisar, também será mágico.

Não pretendo aqui escrever artigos inéditos, logo, me perdoem os que eu citar; se eu aproveitar de vocês alguma frase, será por que elas me foram úteis, certamente. Citarei sempre os sites ou livros que pesquisei para montar meu estudo, mas não vou me preocupar se linkei uma imagem ou escrevi algo semelhante ao que li, repito, não pretendo aqui escrever artigos inéditos, nem fazer outro blog para inciantes pois há vários excelentes na net, estou apenas escrevendo para estudar.

Também não estou esperando popularidade, mas se alguém ler e se manifestar sobre algum direito autoral eu, óbviamente, tomarei as providências cabíveis.

A fotografia é algo muito especial e presente na minha vida, mas a sua teoria é muito subjetiva para alguém de totalmente de exatas como eu. Eu estou tentando reescrever tudo o que leio em uma sequência lógica para o meu aprendizado, de uma forma bem simples e bem detalhanda, for Dummies mesmo.

Tive essa idéia devido às minhas dificuldades habituais; eu realmente demoro mais do que os demais para aprender coisas novas e preciso me esforçar muito mais que os demais.  Reforcei essa ídéia quando eu fiz uma busca no GOOGLE, comumente chamado por mim de semi-deus, e achei um artigo que realmente é a minha cara: http://gawno.com/2009/05/78-photography-rules/

Assim, percebi que não sou eu o problema, é que eu preciso mesmo de um material for Dummies! kkkkk

Henri Cartier-Bresson, fotógrafo francês e pai do fotojornalismo disse certa vez : “Suas primeiras 10.000 fotos serão suas piores fotos”. Assim, segundo o mestre Bresson, tô na média.

Outro artigo bem interessante mostra citações sobre a fotografia: http://www.fotomaf.com/blog/21/07/2009/10-citas-sobre-fotografia-que-deberias-conocer/

OBS: não me menospreze, por que eu tardo mas não falho!